All for Joomla All for Webmasters

CRISMA

0
0
0
s2smodern

Leitura Orante da Palavra

a) Como surgiu?

No século XII, o monge Guigo II estava trabalhando no mosteiro com uma escada na mão. Enquanto isso, pedia a Deus que lhe sugerisse um instrumento que o ajudasse a subir até ele. Sobre isso, ele escreveu: “Ocupado em um trabalho manual, comecei a pensar na atividade espiritual do ser humano e se apresentaram improvisadamente à minha reflexão quatro degraus espirituais, ou seja: 1) a leitura; 2) a meditação; 3) a oração; e 4) a contemplação”. Esta é a escada que se eleva da terra ao céu. Alguns chamam esse método de rezar de Lectio divina, isto é, leitura divina.

b) Os passos da Leitura Orante:1) leitura;  2) meditação;   3) oração; e  4) contemplação.

1) Leitura: no primeiro momento, procure acolher a Bíblia não como um livro qualquer, mas como um tesouro que é a Palavra que Deus quer nos falar. Esforce-se para captar o sentido do texto do modo mais pleno possível. Para isso, podem ajudar algumas perguntas: • Quem? O que diz e o que faz cada personagem? • Onde? Como se situa este texto na Bíblia e em que contexto? • Que relação tem com outros textos? • Em síntese, o que diz o texto?

2) Meditação: A meditação vai responder à pergunta: “O que é que Deus, através deste texto, tem a nos dizer hoje?”. É muito importante perceber o que o texto diz para mim, não somente para os outros. Algumas vezes, as pessoas procuram no texto bíblico lições para ensinar aos outros. Aqui é diferente: o texto fala diretamente com o leitor, seja pessoalmente, seja comunitariamente. Entra-se em diálogo, facilitado por algumas perguntas, como: O que há de semelhante e de diferente entre a situação do texto e a nossa de hoje? O que a mensagem deste texto diz para a nossa situação? Que mudanças de comportamento nos sugere? Pode-se perceber o quanto as ideias de Deus são diferentes das nossas e a necessidade de deixar que a Palavra de Deus transforme as nossas convicções. Muitas vezes, é preciso mudar de mentalidade para aderir à vontade de Deus.

3) Oração: É o momento de expressar o que o texto nos faz dizer a Deus. A oração é a nossa resposta à Palavra de Deus lida e meditada. A oração provocada pela meditação inicia-se com uma atitude de admiração, silêncio e adoração ao Senhor. A oração suscitada pela meditação também pode ser recitação de preces e salmos. Dependendo do que se ouviu da parte de Deus, a resposta pode ser de louvor ou de ação de graças, de súplica ou de perdão. É importante que essa oração espontânea não seja só individual, mas tenha sua expressão comunitária em forma de partilha.

4) Contemplação: enxergar, saborear, agir. A contemplação ajuda a enxergar o mundo de maneira nova. Tira o véu e ajuda a descobrir o projeto de Deus na história que hoje vivemos. Leva-nos a perceber Cristo como centro de tudo. Pela Leitura Orante, vamos crescendo na compreensão do sentido e da força da Palavra de Deus, vamos sendo transformados e nos tornando capazes de transformar a realidade. Contemplar supõe viver de modo diferente. O centro da pessoa está em Cristo. A pessoa é transformada pela Palavra de Deus, por isso contempla a presença de Deus em sua vida e adquire um novo olhar sobre a realidade.

O monge que criou o método sugere a ideia de uma escada que nos ajude a subir até Deus. Vamos analisar os quatro degraus que devemos subir.

1º Degrau – Leitura (Lectio): O que o texto diz?

  1. Leia lentamente o texto, ao menos duas vezes.
  2. Ainda não é hora de tentar tirar uma mensagem para sua vida. Apenas tente  compreender o que o texto poderia significar na época em que foi escrito.
  3. Tente reconstruir o texto: Quem são as pessoas que aparecem no texto e qual é a situação de cada uma? De acordo com o texto, qual é o papel de cada uma e quais seriam seus sentimentos? Aparece algum conflito no texto? Como é resolvido? Qual é o rosto de Deus no texto?

2º Degrau – Meditação (Meditatio): O que o texto me diz?

  1. Destaque os versículos que foram mais fortes para você (sem tentar interpretá-los).
  2. Atualize o texto comparando a situação da época com a situação atual e procure perceber o que tudo isso tem a ver com a sua/nossa vida de cristão.

3º Degrau – Oração (Oratio): O que o texto me faz dizer a Deus?

  1. Tudo o que foi lido e meditado é transformado em uma conversa orante com Deus.
  2. A oração é o instante no qual se é convidado a falar com Deus através do louvor, do agradecimento, do pedido, da súplica, do oferecimento, do perdão dirigido a ele: “Senhor, eu te peço… Eu te louvo e agradeço meu Deus…”. Dialogar diretamente com Deus: tenha “um trato de amizade com aquele que nos ama” (Santa Teresa). É necessário silêncio...

4º Degrau – Contemplação (Contemplatio)

Contemplar é ver a vida com os olhos da fé. É sentir, quase intuitivamente, a presença da Santíssima Trindade ao nosso lado. Esse passo está ligado ao anterior; às vezes, não percebemos quando termina um e começa o outro. Volte-se para a sua realidade (ao seu dia a dia) e veja sua vida com o olhar iluminado pelo Espírito Santo. Não se trata de pensar “o que fazer”, mas de como irá seguir Jesus a partir desse texto? É a primazia do ser sobre o fazer. Este último será o resultado de um novo ser humano: discípulo missionário de Jesus Cristo.

Leitura Orante na Prática

Atenção! Este método é fascinante, mas exigente. Não supõe saber ou ter grandes estudos, mas requer dedicação e escuta atenta à Palavra de Deus. Se alguém ler o texto bíblico sem seguir o método orante, dificilmente entenderá os quatro degraus. Há alguns que dizem que é muito difícil seguir este processo, certamente porque querem resultados imediatos e não dão tempo para escutar o Senhor. Para seguir este método, é preciso muita humildade e deixar o Senhor falar. É preciso se livrar de conceitos prontos sobre o texto lido. Evite-se, igualmente, logo tirar uma mensagem para pôr em prática. Essa aplicabilidade da Palavra depende de uma escuta mais atenta, pois nem sempre o Senhor pede que se faça algo, mas solicita uma mudança em nosso ser – a nossa conversão.

Celebração da Crisma 2 - 2017

CELEBRAÇÃO DA CRISMA [Cf. “Texto base” pg.117]

Espaço da Celebração

  1. A cor litúrgica seguirá a indicação do Tempo Litúrgico:
  • Domingos do Advento e Quaresma: roxo, e segue a missa e leituras do dia. Dias de semana: vermelho e missa do ritual da Crisma.
  • Domingos do Tempo de Natal e Páscoa: branco e segue a missa e leituras do dia. Dias de semana: vermelho e missa do ritual da Crisma.
  • Solenidades e Festasdo Senhor: branco e missa e leituras do dia.
  • Nas demais ocasiões: vermelho e missa do ritual para da Crisma.
  1. Deixar em destaque o Círio Pascal próximo à mesa da Palavra.
  2. Preparar na credência (mesa de apoio):
  • Óleo da Crisma
  • Bacia, água, sabonete, limão e toalha (lavar as mãos após a Crisma).
  • Os Cibórios (píxides), o cálice e o material para o lavabo.
  1. Preparar numa mesa para a procissão das ofertas:
  • Patena com pão,
  • Galheta com vinho,
  • Galheta com água.
  1. Os Crismandos e seus padrinhos podem estar sentados nos primeiros bancos da Igreja ou formarem fila e entrarem em procissão. Os Crismandos podem usar um crachá com seu primeiro nome. Evitar colocar crismandos nas leituras e outras atividades, para evitar distração e movimentação durante a celebração.

Partes da Celebração

  1. Distribuir as leituras, preces e comentários.
  2. = Comentarista; L. = Leitor; P. = Presidente da Celebração; T. = Todos
  3. Na frente da procissão, junto à cruz processional, pode entrar o Círio Pascal carregado por um catequista.
  4. Após a homilia o padre apresenta os crismandos ao bispo. Um catequista relata como os jovens foram preparados. O relato deve ser breve, referindo-se ao tempo da catequese, os retiros e atividades que os crismandos realizaram. O ideal seria escrever um parágrafo de, no máximo, 10 linhas.
  5. Quando o bispo acolhe os crismandos, pode-se aclamar com palmas.
  6. Antes da renovação das promessas batismais, um catequista acende uma vela no Círio Pascal e passa para os demais catequistas. Estes acenderão as velas de cada crismando.
  7. Indicar as pessoas que participarão das preces dos fiéis.
  8. O áudio dos cantos desta celebração pode ser acessado em arquipoa/crisma.org.br
  9. Ao final da celebração a comunidade pode entregar um sinal de gratidão aos catequistas.

I - RITOS INICIAIS

  1. Comentário Inicial

C.Sejam todos bem vindos. Hoje temos a alegria de celebrar a presença do Espírito Santo na vida da comunidade por meio da Crisma. O Espírito Santo vem com força vivificadora confirmar nossos jovens para seguirem Jesus Cristo. Acompanhemos a procissão de entrada com os crismandos, seus padrinhos e familiares, os padres e ________, que presidirá esta Eucaristia. Neste memorial da paixão, morte e ressurreição do Senhor Jesus, com muita fé, cantemos...

Em pé

  1. Canto Inicial: Vem Espírito Santo (Frei Luiz Turra)

Vem, vem, vem, vem Espírito Santo de amor. Vem a nós, traz à Igreja um novo vigor.   01 - Presente no início do mundo, presente na criação.Do nada geraste a vida, que a vida não sofra no irmão. 02 - Presença de força aos profetas, que falam sem nada temer. Contigo sustentam o povo, na luta que vão empreender. 03 - Presença que gera esperança, Maria, por ti, concebeu. No povo renasce a confiança, ó Espírito Santo de Deus. 04 - Presença com força de vida, presença de transformação. Tiraste a vida da morte, em Cristo, na ressurreição.

(bispo depõe mitra e báculo)

  1. Saudação inicial (cf. Missal p. 390).

P.Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo! 

T.Amém!

P.Que o Deus da esperança, que nos cumula de toda alegria e paz em nossa fé, pela ação do Espírito Santo, esteja convosco!

T.Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

 Ato penitencial (cf. Missal p. 390).

P.O Senhor Jesus, que nos convida à mesa da Palavra e da Eucaristia, nos chama à conversão. Reconheçamos ser pecadores e invoquemos com confiança a misericórdia do Pai. (Pausa)

P.Senhor, que sois o caminho que leva ao Pai, tende piedade de nós.  

T.Senhor, tende piedade de nós.

P.Cristo, a verdade que ilumina os povos, tende piedade de nós. 

  1. T. Cristo, tende piedade de nós.

P.Senhor, que sois a vida que renova o mundo, tende piedade de nós.    

T.Senhor, tende piedade de nós.

P.Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.     T.Amém

  1. Hino de Glória

No Advento e na Quaresma, omite-se o Glória.

Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens por Ele amados. Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso: nós Vos louvamos,nós Vos bendizemos, nós Vos adoramos, nós Vos glorificamos, nós Vos damos graças por Vossa imensa glória. Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito, Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai: Vós que tirais o pecado do Mundo, tende piedade de nós; Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica; Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós. Só Vós sois o Santo; só Vós, o Senhor; Só Vós o Altíssimo, Jesus Cristo;com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai.  Amém.

  1. Oração da Coleta (cf. Missal p. 794)

P.Oremos: (pausa) Ó Deus de poder e misericórdia, fazei que o Espírito Santo, vindo habitar em nossos corações, nos torne um templo da sua glória. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

  1. Amém.

II - LITURGIA DA PALAVRA

Sentados - bispo coloca a mitra

  1. Primeira Leitura (Is 61, 1-3a. 6 a. 8b-9) (Cf. R. Confirmação p. 52)
  2. L. Livro do profeta Isaías: O Espírito do Senhor repousa sobre mim, porque o Senhor me ungiu. Ele mandou-me anunciar a Boa-Nova aos pobres, curar os corações feridos, anunciar aos cativos a anistia e a liberdade aos prisioneiros. Anunciar um ano de graça da parte do Senhor, um dia de vingança para o nosso Deus, a fim de consolar os aflitos e dar-lhes uma coroa em vez de cinzas: o óleo da alegria em vez de luto. Vós sereis chamados “sacerdotes do Senhor”. Eu, o Senhor, lhes darei fielmente a recompensa e selarei com eles uma aliança eterna. Célebre está sua raça entre as nações, e entre os povos a sua descendência. Todos aqueles que os virem hão de reconhecer a linhagem bendita do Senhor. Palavra do Senhor. Graças a Deus!
  3. Salmo (Cf. Ritual da Confirmação p. 67)

T.Enviai o vosso Espírito, Senhor,  e da terra toda a face renovai.

  1. Bendize, ó minha alma, ao Senhor! / Ó meu Deus e meu Senhor, como sois grande! / Quão numerosas, ó Senhor, são vossas obras, / E que sabedoria em todas elas! Encheu-se a terra com as vossas criaturas
  2. Todos eles, ó Senhor, de vós esperam que a seu tempo vós lhes deis o alimento; vós lhes dais o que comer e eles recolhem, vós abris a vossa mão e eles se fartam.
  3. Enviais o vosso espírito e renascem./E da terra toda face renovais. Que a glória do Senhor perdure sempre,/E alegre-se o Senhor em suas obras!
  4. Vou cantar ao Senhor Deus por toda a vida,/ Salmodiar para o meu Deus enquanto existo. / Hoje seja-lhe agradável o meu canto./ Pois o Senhor é a minha grande alegria!
  5. Aclamação ao Evangelho (Cf. Ritual da Confirmação p. 70)

Em pé    - bispo depõe mitra e recebe o báculo

/:Aleluia, Aleluia, Aleluia, Aleluia!:/Vinde, Espírito Divino, e enchei com vossos dons Os corações dos fiéis; e acendei neles o amor como um fogo abrasador./: Aleluia, Aleluia, Aleluia, Aleluia!:/

  1. Evangelho (Jo 14,23-26) (Cf. Ritual da Confirmação p. 79)
  2. O Senhor esteja convoscoT. Ele está no meio de nós.
  3. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João. T. Glória a vós Senhor.
  4. Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra: e meu Pai o amará, nós viremos a ele e faremos nele a nossa morada. Aquele que não me ama não guarda as minhas palavras. E a palavra que vós ouvis não é minha, mas do Pai que me enviou. Estas coisas eu vos disse, enquanto permaneço convosco. Mas o Paráclito, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos recordará tudo o que eu disse”. Palavra da Salvação. T. Glória a vós, Senhor!

Sentados - bispo depõe báculo, coloca a mitra e senta

  1. Apresentação dos Crismandos

Após a proclamação do Evangelho, um catequista ou o pároco, dirige-se ao Bispo ou ao seu representante com estas palavras

Cat. ou Pároco: Caro Dom..., aqui estão alguns de nossos irmãos e irmãs que desejam receber o sacramento da Confirmação.

P.Quem são eles?

Cat. ou Pároco:Queiram ficar de pé os crismandos.

P.Como eles se prepararam para este momento?

Um catequista ou o Pároco faz uma breve memória da preparação.

P.Em nome da Igreja, acolhemos com alegria estes crismandos. Deus que os conduziu até aqui, os guie nas estradas da maturidade em Cristo, nosso Senhor!  T.Amém!

Pode-se aplaudir - Bispo coloca a mitra e, se for conveniente,usa o báculo.

  1. Homilia

Breve silêncio - Bispo depõe báculo e permanece de mitra

III - RITO SACRAMENTAL DA CRISMA

  1. Renovação das Promessas Batismais (Cf. R. Confirmação p. 26)

C.A Crisma é a Confirmação do Batismo. Por isso antes de renovar as promessas batismais, as velas dos crismandos serão acesas no Círio Pascal, que nos recorda a Ressurreição de Cristo. Pelo batismo participamos da Páscoa de Jesus Cristo. Acompanhemos este gesto cantando:

A nós descei divina luz, a nós descei divina luz, em nossas almas acendei, o amor, o amor de Jesus.

Em pé - Repete-se o canto enquanto os catequistas acendem as velas a partir do Círio pascal e em seguida acendem as velas dos crismandos.

  1. Meus irmãos e minhas irmãs, pelo mistério pascal fomos, no batismo, sepultados com Cristo para vivermos com Ele uma vida nova. Por isso renovemos as promessas do nosso batismo, pelas quais já renunciamos ao mal, e prometemos servir a Deus em sua Igreja.
  2. Para viver na liberdade dos filhos e filhas de Deus, renunciais ao pecado? T.Renuncio.
  3. Para viver como irmãos e irmãs, renunciais a tudo o que vos possa desunir, para que o pecado não domine sobre vós? T.Renuncio.
  4. Para seguir Jesus Cristo, renunciais ao demônio, autor e princípio do pecado? T.Renuncio.
  5. Credes em Deus, Pai todo-poderoso, criador do céu e da terra? T.Creio.
  6. Credes em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor, que nasceu da Virgem Maria, padeceu e foi sepultado, ressuscitou dos mortos e subiu ao céu? T.Creio.
  7. Credes no Espírito Santo, Senhor e fonte de vida, que hoje, pelo sacramento da Confirmação, vos é dado de modo especial, como aos apóstolos no dia de Pentecostes? T.Creio.
  8. Credesna santa Igreja Católica, na comunhão dos Santos, na remissão dos pecados, na ressurreição dos mortos e na vida eterna? T.Creio.

P.Esta é a nossa fé, que da Igreja recebemos e sinceramente professamos, razão da nossa alegria em Cristo nosso Senhor.   T.Amém.

Os crismandos podem apagar a vela.

C:Acompanhemos agora a imposição das mãos, a oração e a unção com o óleo do crisma.

  1. Imposição das mãos (cf. Ritual da Confirmação p. 28)

Bispo depõe mitra e báculo - O bispo (tendo junto de si os presbíteros concelebrantes), de pé, com as mãos unidas, diz voltado par ao povo:

  1. Roguemos, irmãos e irmãs, a Deus Pai todo-poderoso que derrame o Espírito Santo sobre estes seus filhos e filhas adotivos, já renascidos no Batismo para a vida eterna, a fim de confirmá-los pela riqueza de seus dons e configurá-los pela unção ao Cristo, Filho de Deus.

Todos rezam um momento em silêncio - O bispo (e os presbíteros concelebrantes) impõem as mãos sobre todos os confirmandos, mas só o bispo diz:

  1. Deus todo-poderoso, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que pela água e pelo Espírito Santo fizestes renascer estes vossos servos e servas, libertando-os do pecado, enviai-lhes o Espírito Santo Paráclito; dai-lhes, Senhor, o espírito de sabedoria e inteligência, o espírito de conselho e fortaleza, o espírito de ciência e piedade e enchei-os do espírito do vosso temor. Por Cristo nosso Senhor. T.Amém!

Sentados - Bispo coloca a mitra e recebe o báculo

  1. Unção do Crisma

Cada confirmando se aproxima do bispo. O padrinho coloca a mão direita sobre o ombro do afilhado. O próprio confirmando declara seu nome ao bispo.

P.N., RECEBE, POR ESTE SINAL, O ESPIRITO SANTO, O DOM DE DEUS.Crismando:Amém.

P.A paz esteja contigo.  Crismando: E contigo também.

Sugere-se que durante a unção dos primeiros 5 ou 6 crismandos, a comunidade escute a fórmula e a resposta do Crismando, podendo até usar o microfone; em seguida, a equipe de canto pode entoar cânticos ao Espírito Santo de forma suave e que ajude a rezar.

Bispo depõe mitra e báculo

  1. Preces da Comunidade- Em pé
  2. Meus irmãos e minhas irmãs, roguemos a Deus pai todo-poderoso: que seja unânime a nossa oração e supliquemos:
  3. Dai-nos, Senhor, o vosso Espírito de Amor!

Cat.Pelos que receberam o Dom do Espírito Santo no sacramento da Confirmação, para que, vivendo a fé e praticando a caridade, testemunhem Jesus Cristo com suas vidas, rezemos...

Crismado: Pelo Papa, Bispos, padres e catequistas, para que o Senhor conceda muita luz para formarem discípulos missionários do Cristo, rezemos...

Padrinho ou madrinha:Pelos familiarese padrinhos dos Crismados para que renovem sua fé para colaborar no crescimento de seus filhos e afilhados, rezemos:

Crismado:Por todos nós, pelo mundo e pela nossa comunidade. Que saibamos viver a unidade, vencer as dificuldades e trabalhar pela pelo bem de todos, rezemos.

  1. Ó Pai, ouvi com bondade a nossa oração e derramai nos corações de vossos filhos e filhas os dons do Espírito que distribuístes, no início da pregação apostólica. Por Cristo, nosso Senhor. T.Amém.

IV LITURGIA EUCARÍSTICA

  1. Apresentação das oferendas-Sentados

Os Crismados levam ao altar: patena com pão, galheta com vinho, galheta com água.

C.Aqueles que foram ungidos agora levam ao altar os dons do pão e do vinho, oferecendo ao Pai sua vida, seus projetos e o propósito de seguir Jesus na força do Espírito Santo. Acompanhemos o gesto cantando ... (Canto de ofertas)

  1. Oração sobre as oferendas (Missal p. 797) - Em pé
  2. Acolhei, ó Pai, com vosso Filho único, estes vossos filhos e filhas marcados com sua cruz e unção espiritual, para que, oferecendo-se sempre a vós com o Cristo, recebam cada vez mais o vosso Espírito. Por Cristo, nosso Senhor. T.Amém.
  3. Prece Eucarística II Prefácio: Missal p. 438
  4. O Senhor esteja convosco. T. Ele está no meio de nós.
  5. Corações ao alto! T. O nosso coração está em Deus.
  6. Demos graças ao Senhor, nosso Deus. T. É nosso dever e salvação.
  7. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo lugar, Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo, Senhor nosso. No Batismo nos concedeis o dom da fé, fazendo-nos participantes do mistério pascal de vosso Filho. Pela imposição das mãos e a unção real do Crisma, nos confirmais com o selo do Espírito Santo, para celebrar o milagre de Pentecostes. Ungidos pelo Espírito e alimentados no banquete eucarístico, nos tornamos imagens do Cristo Senhor, para anunciar ao mundo a certeza da salvação, e dar, na Igreja, o testemunho da fé redentora. Reunidos nesta assembleia festiva, reconhecemos em vós a fonte de todo o bem e o fundamento de nossa paz. Enquanto esperamos a plenitude eterna, proclamamos a vossa glória, cantando a uma só voz:
  8. Santo, santo, santo! Senhor Deus do universo! O céu e a terra proclamam a vossa glória! Hosana nas alturasBendito o que vem! Em nome do Senhor! Hosana nas alturas
  9. Na verdade, ó Pai, vós sois santo e fon­te de toda santidade. Santificai, pois, estas oferendas, derramando sobre elas o vosso Espírito, a fim de que se tornem para nós o Corpo e +o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso.T. Santificai nossa oferenda, ó Senhor!Ajoelhados

Estando para ser entregue e abraçando li­vremente a paixão, ele tomou o pão, deu graças, e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS.

Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças nova­mente, e o deu a seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS PARA A REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM. - Eis o mistério da fé!Em pé

T: Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!

CC.Celebrando, pois, a memória da morte e ressurreição do vosso Filho, nós vos oferece­mos, ó Pai, o pão da vida e o cálice da salvação; e vos agradecemos porque nos tornastes dignos de estar aqui na vossa presença e vos servir. T.Recebei, ó Senhor, a nossa oferta!

CC.E nós vos suplicamos que, participando do Corpo e Sangue de Cristo, sejamos reuni­dos pelo Espírito Santo num só corpo. T.Fazei de nós um só corpo e um só espírito!

1C. Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja que se faz presente pelo mundo inteiro: que ela cres­ça na caridade, com o Papa (N.), com o nosso Bispo (N.), e todos os ministros do vosso povo. T.Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja!

2C.: Lembrai-vos também dos nos­sos irmãos e irmãs que morreram na espe­rança da ressurreição e de todos os que partiram desta vida: acolhei-os junto a vós na luz da vossa face. T.Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos!

3C.Enfim, nós vos pedimos, tende pieda­de de todos nós e dai-nos participar da vida eterna, com a Virgem Maria, Mãe de Deus, com São José, seu esposo, com os santos Apóstolos e todos os que neste mundo vos serviram, a fim de vos louvarmos e glorificar­mos, por Jesus Cristo, vosso Filho. T.Concedei-nos o convívio dos eleitos!

CP: Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre.   T.Amém.

  1. Pai Nosso
  2. Oração da paz
  3. Cordeiro de Deus
  4. ComunhãoCanto de comunhão

Após a comunhão deixar um breve tempo de silêncio antes da oração após a comunhão.

V RITOS FINAIS

  1. Oração após a comunhão (Missal p. 796)- Em pé

P.Oremos: Acompanhai, ó Deus, com vossa bênção, aqueles que receberam a unção do Espírito Santo e foram nutridos com o sacramento do vosso Filho, para que, superando todas as adversidades, alegrem vossa Igreja por uma vida santa e façam crescer no mundo por seu amor e suas obras. Por Cristo, nosso Senhor. T.Amém.

Bispo coloca a mitra e senta

  1. Avisos paroquiais e agradecimentos
  2. Bênção Solene(Missal p. 796)
  3. O Senhor esteja convosco! T. Ele está no meio de nós.
  4. Abençoe-vos Deus, Pai todo-poderoso, que vos fez renascer da água e do Espírito Santo e vos tornou seus filhos adotivos, e vos conserve dignos do seu amor de Pai. T. Amém.
  5. Abençoe-vos seu Filho Unigênito, que prometeu que o Espírito da verdade permanecerá na Igreja, e vos confirme com sua força na profissão da verdadeira fé. T. Amém.
  6. Abençoe-vos o Espírito Santo, que acendeu o fogo do amor nos corações dos discípulos, e vos conduza, unidos num só corpo e sem tropeço, à alegria do reino de Deus. T.Amém.

Bispo recebe o báculo

P.Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho e Espírito Santo.  T.Amém.

  1. Canto final 

Calendário Integrado das Etapas de Catequese 2017

Data

Evento

Novembro e Dezembro de 2016

Período para reunir os catequistas: avaliar o ano e projetar o calendário da IVC na Paróquia para 2017, de acordo com este proposto pela Arquidiocese: prever os retiros, encontros com os pais, celebrações de entrega e de conclusão de etapa. O planejamento é realizado pelo padre, catequistas e comunidade.

De 06 a 11 de março

Período para reunir os catequistas para retomar o planejamento do ano. Num primeiro momento reunir todos juntos e num segundo momento por etapas (pode ser no mesmo dia).

De 01 a 20 de março

Período de Inscrições de catequese (Eucaristia 1 e 2, Crisma 1 e 2 e Adultos)

11 de março

Formação e envio de catequistas Iniciantes (Eucaristia 1 e 2 – Crisma 1 e 2 e Adultos) no Centro de Pastoral da Arquidiocese - 8h30 às 16h30 [almoço partilhado]

12 de março

Celebração Eucarística e Mandato de todos os catequistas da Arquidiocese na Catedral, 15hs

18 de março

Reunião dos coordenadores paroquiais e vices da IVC, no Centro de Pastoral, 8h30 às 11h30

Escolher uma data entre 20 a 25 /3

Encontro dos pais na Paróquia e com os padres e os catequistas da etapa de Eucaristia 1 e 2, Crisma 1 e 2

De 20 a 26/3

Início das catequeses na Paróquia

01 e 02 de abril

Celebração de Início do Ano Catequético: os catequizandos, seus pais e os catequistas de todas as etapas.

De 03 a 09 de abril

Rezar a Via Sacra da Cruz na comunidade com a etapa da Crisma 1.

10 a 16 /4

Recesso de Páscoa (motivar a participação nas celebrações do Tríduo Pascal)

De 17 a 20 de abril

Período para encontro de catequistas da paróquia para realizar o Estudo 1 do texto base.

De17a23 /4

Recesso de Tiradentes

29 ou 30 /4 ou 06 /5

Celebração de assinalação da cruz - etapa de Crisma 2

06 ou 07 /5

Celebração de entrada - catecumenato - adultos

07 de maio

Jornada Estadual de Catequistas em Caxias do Sul

De 08 a 14 de maio

Rezar a Via Sacra da Ressurreição na comunidade com a etapa da Crisma 1

13 ou 14 /5

Celebração de entrega da Palavra de Deus para a etapa da Eucaristia 1

20 ou 21 /5

Celebração de entrega do Creio para a etapa da Eucaristia 2

De 22 a 28 de maio

Período para realizar encontro de pais, crismandos e catequistas - etapa de Crisma 2

27 ou 28 de maio

Celebração com entrega do Terço para a etapa da Eucaristia 1

JUNHO

Sugere-se organizar em junho o retiro da Crisma 1

10 ou 11 de junho

Celebração com o Rito da Água Batismal para etapa de crisma 2

12 a 18 /6

Recesso Feriado de Corpus Christi (participar das celebrações)

De 12 a 17 de junho

Período para realizar o encontro de catequistas da paróquia para aprofundar o Estudo 2 do texto base.

De 19 a 25 de junho

Período para encontro de pais e crianças com catequista nas  etapas de: Eucaristia 1, Eucaristia 2 e Crisma 1

01 ou 02 /7

Rito de entrega do Pai nosso para a etapa da Eucaristia 1

08 ou 09 /7

Entrega do Pai Nosso para a etapa dos Adultos

08 de julho

Formação para catequistas de batismo 8h30min às 11h30min – Instituto São Francisco – Porto Alegre

08 de julho

Formação para catequistas de Adultos 13h30min às 16h30min – Instituto São Francisco – Porto Alegre

15 de julho

Formação para todos os (as) catequistas das etapas de Eucaristia 1 e 2 8h30min às 11h30min – Instituto São Francisco – Porto Alegre

15 de julho

Formação para todos os (as) catequistas das etapas de Crisma 1 e 2  13h30min às 16h30min –  Instituto São Francisco – Porto Alegre

15 ou 16 /7

Entrega do Escapulário para a etapa de Crisma 1

17 a 30 /7

Férias da catequese

AGOSTO

Sugere-se organizar em agosto o retiro da Eucaristia 2

05 ou 06 /8

Celebração de Eleição dos Adultos

De 14 a 20 de agosto

Semana de confissões para etapa de Crisma 1 no horário da catequese (Celebração Penitencial)

19 ou 20 de agosto

Encontro com padrinhos de Crisma e celebração da luz na etapa de Crisma 2

26 ou 27 /8

Celebração dia do catequista na comunidade - todas etapas

SETEMBRO

Sugere-se organizar em setembro o retiro da Eucaristia 1

02 ou 03 de setembro

Celebração Penitencial: confissões da etapa de Eucaristia 2 ou durante a semana

02 ou 03 /9

Celebração com entrega do Creio na etapa dos Adultos

04 a 10 de setembro

Recesso do Feriado da Independência – semana sem catequese

De 04 a 10 de setembro

Período para realizar o Encontro de todos os  catequistas da paróquia para aprofundar o Estudo 3 do texto base.

11 a 17 de setembro

Período para encontro de pais, crianças e catequistas das etapas de:  Eucaristia 1 e Eucaristia 2  e Crisma 1

23 ou 24 de setembro

Celebração com renovação das Promessas do Batismo na etapa dos Adultos (Batismo dos catecúmenos e renovação das promessas dos demais)

De 25 /9 a 01 /10

Período para a Celebração do Sacramento da Penitência com Crismandos e padrinhos – Crisma 2

OUTUBRO

Sugere-se organizar em outubro o retiro da Crisma 2

07 ou 08 de outubro

Celebração com entrega da Lei (Dez Mandamentos): Eucaristia 1

De 09 a 15 de outubro

Recesso do Feriado Nossa Senhora Aparecida – semana sem catequese

De 23 a 29 de outubro

Período para a Celebração Penitencial – Confissões – etapa dos Adultos

21/10

Explicação das partes da Missa para a etapa de Eucaristia 2 (ou durante a semana)

De 23/10 a 20 /11

Possibilidade de Crismas – agendar a partir de fevereiro com a Cúria. 

30 /10 a 05/11

Recesso do Feriado Finados– semana sem catequese

11 ou 12 de novembro

Celebração da Primeira Comunhão eucarística para a etapa da Eucaristia 2

11/11

Formação para catequistas de Batismo 8h30min às 11h30min – Instituto São Francisco – Porto Alegre

11/11

Formação para catequistas de Adultos 13h30min às 16h30min – Instituto São Francisco – Porto Alegre – entrega do texto base 2018

18 de novembro

Formação para todos os (as) catequistas das etapas de Eucaristia 1 e 2 8h30min às 11h30min – Instituto São Francisco – Porto Alegre - entrega do texto base 2018

18 de novembro

Formação para todos os (as) catequistas das etapas de Crisma 1 e 2 - 13h30min às 16h30min – Instituto São Francisco – Porto Alegre - entrega do texto base 2018

18 ou 19 de novembro

Renovação das promessas batismais e encerramento da  etapa de Eucaristia 1

18 ou 19 de novembro

Celebração da Crisma e Eucaristia com Adultos

25 ou 26 de novembro

Celebração com entrega da cruz e encerramento da etapa de Crisma 1

Agenda de Formações com Catequistas 2017

Data

Evento

11 de março

Catequistas iniciantes (novos) das 8h30 às 16h30 [* almoço: lanche partilhado] – Centro de Pastoral da Arquidiocese – Porto Alegre

18 de março

Coordenadores paroquiais de Iniciação à Vida Cristã (Coord. + vice) das 8h30 às 11h30 – Centro de Pastoral da Arquidiocese – Porto Alegre

De 17 a 20 de abril

Período para encontro de catequistas da paróquia para realizar o Estudo 1 do texto base, página...

07 de maio

Encontro Estadual de Catequistas em Caxias do Sul

De 12 a 17 de junho

Período para realizar o encontro de catequistas da paróquia para aprofundar o Estudo 2 do texto base.

08 de julho

Catequistas do Batismo das 8h30min às 11h30min

– Instituto São Francisco – Porto Alegre

08 de julho

Catequistas com Adultos das 13h30min às 16h30min

– Instituto São Francisco – Porto Alegre

15 de julho

Catequistas de Eucaristia 1 e 2 das 8h30min às 11h30min

– Instituto São Francisco – Porto Alegre

15 de julho

Catequistas de Crisma 1 e 2 das 13h30min às 16h30min

– Instituto São Francisco – Porto Alegre

De 04 a 10 de setembro

Período para realizar o Encontro de todos os catequistas da paróquia para aprofundar o Estudo 3 do texto base.

11 de novembro

Catequistas de Batismo das 8h30min às 11h30min

– Instituto São Francisco – Porto Alegre

11 de novembro

Catequistas com Adultos das 13h30min às 16h30min – Instituto São Francisco – Porto Alegre  entrega do texto base 2018

18 de novembro

Catequistas de Eucaristia 1 e 2 das 8h30min às 11h30min

– Instituto São Francisco – Porto Alegre  entrega do texto base 2018

18 de novembro

Catequistas de Crisma 1 e 2 - 13h30min às 16h30min

– Instituto São Francisco – Porto Alegre  entrega do texto base 2018

Primeira Eucaristia e Crisma I

Inscrições em Março, de 1º a 31 de março na secretaria, com os seguintes documentos:

  • Certidão de nascimento ou RG da criança;
  • Endereço completo;
  • Feita por um responsável pela criança e ou Jovem.

INFORMAÇÕES SOBRE SACRAMENTOS

Batismo

Casamento

Catequese

Crisma

PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA SALETTE

Atendimento: (51) 3347-4281
Professora Cecy Cordeiro Tofehrn, 844

Porto Alegre - RS
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.